Segurança do trabalho: Como fazer uma desenergização de forma segura

A desenergização de um interruptor ou disjuntor precisa ser realizada respeitando diversos procedimentos para garantir a segurança do trabalho, no momento da instalação elétrica.

 

Mas afinal, o que é desenergização?

Em toda empresa, as instalações elétricas precisam de manutenções corretivas e preventivas com frequência. Essas manutenções não podem causar nenhum dano à produção e aos funcionários. Para que isso aconteça, é fundamental que o procedimento de desenergização de máquinas seja feita de forma correta para não interferir na segurança do trabalho.

A definição de desenergização é o corte ou ausência de corrente elétrica que circula por todo ambiente. Isso evita risco de acidente com os funcionários por descarga elétrica. Além disso, também impede que o sistema seja religado de forma acidental.

Para isso, é utilizado os procedimentos da NR. Uma NR – Norma Regulamentadora esclarece as condições mínimas e requisitos para controlar diferentes sistemas.

De acordo com a NR-10 que estabelece os serviços de eletricidade, uma instalação que está energizada possui tensão igual ou superior a 50 volts, caso a corrente seja alternada. Se a corrente for contínua, a tensão precisa ser superior a 120 volts.

Para a segurança do trabalho, as instalações estão aptas para qualquer tipo de procedimento, se a tensão estiver menor do que as mencionadas.

 

Passo a passo da desenergização com segurança do trabalho

grupo bplan

O item 10.5 apresenta a sequência ideal para realizar a desenergização das instalações elétricas. Confira:

Seccionamento

Nessa etapa, é realizada o desligamento do fluxo de eletricidade. Conforme a NR-10, é possível interromper o fluxo de eletricidade somente no ambiente que vai precisar de manutenção.

Impedimento de reenergização

É fundamental impedir que haja reenergização durante o trabalho. Para isso, é necessário usar cadeados ou dispositivos de bloqueio.

Constatação da ausência de tensão

Nessa etapa, o colaborador precisa medir o circuito onde o trabalho será feito para garantir que não haja corrente elétrica e manter a segurança do trabalho.

Instalação de aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos

Nesse passo, o aterramento temporário é realizado. A instalação precisa estar no mesmo potencial que a terra, para reduzir os riscos de acidentes de trabalho com energia elétrica.

Proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada

É importante que dentro do ambiente onde será realizado o trabalho, não haja nenhum elemento energizado. Dessa forma, é fundamental proteger tudo com mantas isolantes e outros dispositivos.

Instalação da sinalização de impedimento de reenergização

É imprescindível o bloqueio do local para impedir a reenergização. Sinalize por meio de placas, etiquetas para que outros trabalhadores visualizem que há um trabalho sendo feito naquele local. Com isso, eles não vão mexer na instalação até que o serviço seja terminado.

Depois de seguir todos esses passos, o colaborador responsável poderá fazer o serviço de manutenção elétrica, dentro da segurança do trabalho. Vale lembrar que todo o processo de desenergização precisa ser feito com uso dos Equipamentos de Proteção Individual – EPIs. Quer saber mais? CLIQUE AQUI PARA FALAR CONOSCO NO WHATSAPP

grupo bplan


Deixe um comentário

Chamar no Whatsapp
Chamar no Whatsapp
Olá!
Clique aqui para falar conosco via WhatsApp